Redes Sociais

The 100 - 1ª temporada

Recentemente eu tenho me saído muito melhor assistindo a seriados do que nas minhas leituras - isso porque estou numa ressaca literária que parece que irá durar até o fim do mundo - e faz algum tempo que assisti as duas primeiras temporadas de The 100. Hoje eu vou contar um pouco sobre o que eu achei sobre a primeira temporada. Relaxa que não vai ter Spoiler, pode ler a vontade.


Depois de uma guerra nuclear a Terra fica inabitável e alguns poucos sobreviventes embarcam numa viagem ao espaço na esperança de que alguma geração futura possa retornar ao planeta para recomeçar. Enquanto as condições não melhoram eles reúnem as espaçonaves de todos os países do mundo e passam a chamá-la de Arca.


Dentro da Arca eles criam um governo bem estruturado que preza acima de tudo a sobrevivência de seu povo. Mas claro que aos poucos o governo vai cometendo certos erros e um deles foi não calcular os suprimentos necessários para toda a população. A solução que eles encontram é a de mandar prisioneiros de volta a Terra, assim eles tem menos pessoas para se preocupar e ainda conseguem descobrir se a radiação causada pelas guerras ainda pode matar. (solução inteligente - fria e cruel - mas muito inteligente, são "dois coelhos numa cajadada só)

Os prisioneiros escolhidos são 100 jovens que cometeram variados crimes mas por serem jovens demais não foram condenados a morte, ou melhor, não são jogados para fora da nave. E assim que chegam na Terra percebem que não apenas ela é habitável - mesmo ainda tendo resquícios da radiação - como há povos vivendo nela há gerações. 

Nessa primeira temporada acompanhamos os jovens tentando sobreviver por conta própria num lugar desconhecido e perigoso, líderes surgem e alguns personagens se destacam entre todos aqueles jovens imaturos e loucos por aventura. Enquanto isso temos outro núcleo se desenrolando na Arca, onde "os mais velhos" precisam tomar decisões com consequências gigantescas. Ou seja, é muita ação e hormônios na Terra, política e drama na Arca.

acho que ainda tem um pouco de radiação por aqui sim... rs
O que eu mais gostei foi a interação entre o "povo do céu" - os cem - e os clãs que já viviam na Terra e que entram em guerra com os jovens, já que estes invadiram suas terras. Mas agora chegou o momento de falar sobre alguns personagens.


Clarke Griffin (Eliza Taylor) foi condenada a solitária depois que seu pai cometeu "um crime" e foi executado. Ela sempre sonhou com a Terra, mas quando coloca seus pés no chão não consegue aproveitar tanto a liberdade quantos seus companheiros. Por ser muito responsável e justa, ela logo que chega quer saber sua localização e como podem arranjar mantimentos. Mas não é levada muito a série no inicio, já que todos querem apenas festejar. Mas logo Clarke se torna uma líder respeitada e fica com a responsabilidade de garantir a sobrevivência de seu povo.


É maravilhoso ver a evolução da personagem que sempre julgou os governantes da Arca pelas decisões que tomaram, acreditando que tudo pode ser resolvido de uma maneira fácil, mas que descobre que a liderança vem com uma enorme responsabilidade e ela vai sentir na pele como é difícil lidar com as consequências de uma decisão errada.

Junto à Clarke (que é apelidada de princesa) temos outro líder que já se destaca desde o inicio e ganha a simpatia de todos, Bellamy Blake (Bob Morley). Ele incentiva os jovens a serem despreocupados ("we do whatever the hell we want") e não se preocupa nem um pouco com as pessoas que ficaram na Arca, para ele é até melhor que esses continuem no espaço. Ele se torna o braço direito de Clarke, ou melhor, os dois se completam e formam uma dupla perfeita no quesito "governo". Enquanto ela cuida da parte política ele se responsabiliza pela segurança e armamento.


E então temos Octavia Blake (Marie Avgeropoulos), irmã mais nova de Bellamy. Na verdade, ela não deveria ter nascido já que a Arca tem um controle de natalidade e só é permitido um filho. Mas ainda bem que sua mãe foi rebelde porque temos aqui uma personagem incrível e badass... Octavia viveu sua vida inteira se escondendo, passou sua infância vivendo num quarto e sonhando com alguma interação com o mundo. E agora que ela chegou na Terra - a primeira dos 100 a pisar no solo - tudo o que quer é extravasar e viver intensamente cada minuto de sua vida. 


É lindo ver a forma que essa personagem consegue transmitir seus sentimentos, vontades e medos. A atriz conseguiu interpretar muito bem e se tornou minha favorita de toda a série.


Há outros personagens fantásticos com suas personalidades e importância para a série, mas não da para falar de todos senão a postagem vai ficar imensa. Mas apenas para constar: John Murphy (Richard Harmon) é aquele personagem que foi feito para causar as intrigas e que eu tentei odiar mas não consegui; Jasper (Devon Bostick) e Monty (Christopher Larkin) são o alívio cômico da série, os dois são nerds e têm diálogos apaixonantes; Raven Reyes (Lindsey Morgan) é aquela garota destemida que admiramos e desejamos que seja feliz com algum outro personagem secundário; e por fim temos Finn (Thomas Mcdonell) que só está lá para ter um pouco de romance.

Monty e Jasper. <3
A história é muito boa, vale muito a pena conferir a primeira temporada e o final é chocante, deixa um belo de um arco para a segunda temporada. No todo, foi uma temporada muito boa e tenho certeza que irá agradar muita gente (se é que existe alguém que ainda não viu né?! rs).

Nenhum comentário

Postar um comentário

© ATRASADA PARA O CHÁ- TODOS OS DIREITOS RESERVADOS | Design e Programação por